segunda-feira, abril 24, 2006

Que azar, ele nasceu antes de Freud.

A igreja, como uma grande esponja, suga gulosamente as teorias de um mundo sem Deus. Tentando conciliar o inconciliável. Veja, por exemplo, alguns pontos de vista fundamentais popularizados pela psicologia.
1. A natureza humana é basicamente boa.
2. As pessoas possuem em si mesmas as respostas para seus prloblemas.
3. A chave para se entender e corrigir as atitudes e ações de uma pessoa reside em algum ponto do seu passado.
4. Os problemas de uma pessoa resultam de algo que alguém fez a elas.
5. Problemas profundos só podem ser resolvidos por conselheiros profissionais que usam terapia.
6. As Escrituras, a oração e o Espírito Santo são recursos simplistas e inadequados par a resolução de certos tipos de problemas...
Tantos outros pontos poderiam ser acrescentados a esta lista, como - A culpa como a raiz do problema da alma humana, e não o pecado - Apesar de podermos acrescentar muitos pontos mais, nenhum deles poderá ser conciliável com a verdade Bíblica.
Eu li a pouco tempo, sobre uma "clínica" evangélica voltada para o tratamento de "cristãos" com problemas de obsessão sexual, levando a lascívia, fornicação, infidelidade,...
Os "especialistas" responsáveis por esta clínica, diziam que o problema era muito complicado. Que esse tipo de coisa necessita de um aconselhamento, de uma terapia prolongada. Que é necessário que essas pessoas procurem uma "igreja tolerante". Que o tratamento dos traumas que levaram aquelas pessoas a compulsão sexual, fornicação... era longo.
Podemos imediatamente lembrar de Cristo falando a mulher que foi pega em adultério, ou a samaritana que tinha tido vários maridos e o que tinha naquele momento não era dela - "Vai e não peques mais".Eu sei; muitos dirão que Jesus está sendo simplista - Ele não compreende a sofisticação dos problemas da alma humana. Ele não sabe sobre os traumas do passado que levaram essas nulheres a essa situação; as feridas que lhes foram impostas - quem sabe, pelo pai, ou mãe, ou irmãos... É por isso que a palavra de Cristo a elas é "simplista" aos olhos de muitos. Falar para pessoas com traumas tão grande sobre uma água que Ele podia dar, que jorraria para a vida eterna - Que "simplista" e insuficiente isso é aos das novas teorias. Elas precisavam de um longa terapia, de um tratamento longo, um processo longo de cura interior...
Talvez Cristo tenha sido muito simplista. E por quê? Porque Ele teve o azar de "nascer" antes de Freud e não teve acesso aos segredos da alma humana que agora nós temos.
Que tragédia, quando a fonte do conhecimento e direção da igreja já não é Deus e a Sua Palavra.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home